Boas práticas de finanças: a evolução no seu negócio.

Artigo escrito por Dario Perez, CEO da Planeja Consultoria.


O planejamento financeiro é mais do que importante; é indispensável. Ele envolve o cuidado com o seu patrimônio, com os seus bens, com o seu negócio e com o futuro que você pensa em deixar para sua família. Se todos esses pontos não são essenciais para a sua vida, então realmente esse artigo não é para você.


Vamos começar do início.


Você já ouviu falar sobre categorização de contas?


Categorização é o principio de tudo dentro do seu ambiente financeiro. É super importante entender que essa planificação é de pensamento macro da empresa, é a organização vista de uma visão geral no sentido financeiro. Sem uma boa organização de contas, fica impossível gerar relatórios e indicadores para o seu negócio, já que você não vai conseguir enxergar como andam suas receitas e despesas. E quanto melhor você cuidar das suas finanças no dia a dia, mais efetivos deverão ser os resultados deste seu hábito.


Para que fique melhor para exemplificar, abaixo vou inserir a categorização de contas de uma das minhas empresas, a Yourdev. Nosso primeiro tópico será sobre receitas:


Pense em um pacote de tudo aquilo que você ganha como receita. Depois veja como separar esse aglomerado por categorias, que serão: os seus produtos e serviços. Aqui na Yourdev, nós temos 3 categorias de produtos diferentes:


Aplicativos, Sistemas Web e Websites.


Tudo que entra de receita precisa entrar em uma dessas três categorias. Assim, eu sei quanto cada squad traz de resultados para o negócio. Essa separação de categorias irá te auxiliar na visão e controle do rendimento mensal, semestral e anual de cada serviço de forma unitária. Dessa forma, eu identifico qual dos meus produtos é mais rentável. Mas como? A operação é:

Receita da categoria

+

Custos ligados a categoria

=

Margem de contribuição!


Vamos falar de margem de contribuição em uma outra hora. Mas por enquanto basta você saber que margem de contribuição é aquilo que sobra de uma operação de sua categoria. E as despesas? Na Yourdev separamos por dois segmentos macros: Custos e Despesas. Lembre-se, existe uma diferença importantíssima nesses dois significados:


Custos: tudo que é ligado à nossa atividade fim, tudo que eu preciso gastar para que a empresa continue em operação.


Se a Yourdev é uma empresa de software os meus maiores custos são servidores, softwares de desenvolvimento e desenvolvedores. Sem eles, é impossível desenvolver o meu negócio. A Internet também entra nessa especificação, aliás, na grande maioria dos negócios a internet é um custo significativo pois todos dependemos dela para operar.


Despesas: Gasto para ter uma melhor funcionalidade, melhor ambiente de trabalho e logística.


As despesas não são necessárias para o andamento do negócio avaliando de maneira lógica. Se pensarmos em um ar condicionado, por mais “importante” que ele seja para trabalharmos melhor – a YourDev fica no Rio de Janeiro, então imaginem – ele não é um custo pois, sem o ar eu ainda consigo programar e entregar meus serviços. Ar-condicionado por mais confortável que seja não é uma peça essencial para eu produzir. Eu sei que parece bem ruim falar isso e jamais iremos tirar o ar condicionado do meu pessoal, mas esse é a lógica correta.


Uma parte bem importante de ser mencionada é a parte de gastos não operacionais, ou seja, valores ganhos ou gastos de maneira eventual e que não são necessariamente ligados ao core da sua empresa. Geralmente são gastos não significativos de despesas diversas. Salvo casos quando sua empresa é maior e tem participação em outros negócios. Ai você vai ter receitas não operacionais bem relevantes.


Porém, MUITO CUIDADO!


Caso você não mantenha isso bem alinhado e organizado, no final pode haver um grande valor registrado que não sabe-se ao certo a que se referem. O importante é que você tente sempre zerar esse valor, essa categoria precisa ser muito simplória. Não se preocupe em registrar todas as suas categorias logo no começo. Uma dica é ir criando as categorias conforme forem acontecendo; comece pelo fácil, categorizando em contas maiores. Assim, você fará essa ação repetidamente e criará costume. A medida que você for tendo mais volume financeiro, você pode ir aprimorando seu plano de contas.


E aí, vamos colocar a mão na massa?

Somente um planejamento financeiro sólido e bem estruturado permitirá que você tenha clareza das suas metas para o seu crescimento.


Qualquer dúvida, não hesite em entrar em contato conosco!

Share your thoughts

No Comments

Leave a Comment: